quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

O ARTIGO 5 DOS PONTOS DE DOUTRINA NO HINÁRIO – LIVRO 5



No Hinário – Livro 4 – o devido ponto doutrinário diz:

 “5. Nós cremos que a regeneração, ou o novo nascimento, só se recebe pela fé em Jesus Cristo, que pelos nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação. Os que estão em Cristo Jesus são novas criaturas. Jesus Cristo, para nós, foi feito por Deus sabedoria, justiça, santificação e redenção. (Rom., 3;24 e 25; I Cor., 1:30; II Cor., 5:17).” – O negrito é meu.
 
Assim, a “regeneração” é apresentada como sendo o mesmo “novo nascimento”, isto é patente pelo significado Bíblico do termo, pois a palavra grega para o substantivo “regeneração” é paliggenesia, termo que é formado de duas palavras, a saber, palin (de novo) e genesis (nascimento); isto é, “nascer de novo” ou “novo nascimento”!

Portanto, a regeneração é o mesmo que novo nascimento, por isso que o devido Hinário 4 diz “regeneração, ou o novo nascimento” (tanto faz o uso de um termo, ou, do outro; dá no mesmo.).
Mas agora, no Hinário – Livro 5 – o devido ponto doutrinário além de modificar a posição das palavras, entre os dois termos acrescentou “e a”, denotando dois acontecimentos espirituais, esse argumento é endossado mais adiante pelo plural “recebem”, em vez de “recebe” – no singular - como consta no livro 4. Ainda que os termos estejam modificados quanto à posição anterior, o significado dos dois termos continua sendo “uno” (um só), não há problema algum. A questão interessante é levantada no acréscimo de “e a” e pelo plural “recebem”, denotando duas coisas recebidas “novo nascimento” (regeneração) e “regeneração” (novo nascimento); antes de entrar no mérito da questão, vejamos como ficou com essa alteração:

“5. Nós cremos que o novo nascimento e a regeneração só se recebem pela fé em Jesus Cristo, que pelos nossos pecados foi entregue e ressuscitou para nossa justificação. Os que estão em Cristo Jesus são novas criaturas. Jesus Cristo, para nós, foi feito por Deus sabedoria, justiça, santificação e redenção. (Romanos, 3:24-25; I Coríntios, 1:30; II Coríntios, 5:17)”. – O negrito é meu.

Jesus manifestou a necessidade do ser humano nascer de novo, e isto, envolve o nascer da “água” e do “Espírito”; portanto, duas coisas: "da água e do Espírito."

Com efeito:

Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer (genesis) da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.” (João 3.5,6). – O negrito é meu.

Ora, o ponto doutrinário distingue os dois nascimentos, o nascimento da água e do Espírito que só se recebem pela fé em Jesus Cristo. Nota-se que esse “e do” serve para distinguir uma coisa da outra. Um exemplo disto é Mateus 28.19, onde “e do” é termo distintivo entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo, como pessoas distintas.

O nascer da “água”, amados, não se refere às águas batismais, mas a mesma água que mata nossa “sede” espiritual (João 7.37) e nos “limpa” de nossos pecados (João 15.3), a Palavra de Deus. Somente Cristo pode nos saciar com sua água e nos limpar, a Escritura mostra a necessidade do novo nascimento, cujo nascimento é gerado pela Palavra (Tiago 1.18). O nascer da “água” não deve ser separada do nascer do “Espírito”, pois há relato na Bíblia de pessoas que nasceram da “água” – palavra pregada por João Batista – sem terem o conhecimento da pessoa e obra do “Espírito Santo”:

Disse-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo.” (Atos 19.2).

Portanto, só Jesus pode nos fornecer a água e o Espírito para o ser humano nascer pela fé, não do que é terreno, mas de Deus:

Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus”. (João 1.13). – O negrito é meu.

Sendo Deus Espírito, a água fornecida é espiritual e não material. O que nasce da matéria é matéria, mas o que nasce de Deus é espiritual, coisa que Nicodemos não compreendia (João 3.4,5). Pela Palavra (água) o Espírito (João 16.8) convence o homem do pecado, e da justiça e do juízo, sem o Espírito, não há novo nascimento para o ser humano! Esse novo nascimento só se recebe pela fé em Jesus Cristo, conforme as referências de doutrina contida no artigo 5: 

Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus”. (Romanos 3.24,25)

Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”. (I Cor 1.30).

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (II Coríntios 5.17).

Sim, em Cristo tudo se fez “novo”, e isto se inicia no novo nascimento, o nascimento da água e do Espírito presente nela, a água divina que nos gerou em Cristo (Tiago 1.18). Finalmente, “regeneração” e “novo nascimento” são duas palavras, mas um mesmo significado; a “água” e o “Espírito” possuem um só propósito: regenerar o homem. 

Deus abençoe.

Romário N. Cardoso

Fontes:
. Hinos de Louvores e Súplicas a Deus – Livro 4 – CCB;
. Hinos de Louvores e Súplicas a Deus – Livro 5 – CCB;
 A Bíblia Sagrada – Almeida Corrigida Fiel. São Paulo, Brasil. SBTB;
. O Novo Testamento – O Texto Grego Base da Versão João Ferreira de Almeida de 1681, Trinitarian Bible Society, London;
. Rusconi, Carlo. Dicionário do Grego do Novo Testamento – Paulus.



5 comentários:

  1. A Paz de Deus,

    Interessante sua argumentação bíblica para provar a irrelevância da revisão dos pontos de doutrina (1º,2° e 5°).
    O ministério poderia utilizá-los para, pelo menos para tentar justificar as alterações a irmandade.

    Em Cristo,

    ResponderExcluir
  2. Antes e depois da mudança a máxima é a mesma: Só se recebem pela FÉ.
    att
    Lucas

    ResponderExcluir