segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A CONGREGAÇÃO CRISTÃ E O BATISMO NAS ÁGUAS



Em seu credo, a Congregação Cristã no Brasil afirma o seguinte ponto doutrinário:

6 – Nós cremos no batismo na água, com uma só imersão em nome de Jesus Cristo (Atos 2:38) e em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. (Mat., 28:18, 19).

A crença doutrinária afirma a necessidade de o converso se batizar nas águas, e isto com uma só imersão. A forma praticada é a de imersão nas águas, à semelhança de sepultamento, é estar coberto completamente pelas águas:

Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos.” (Colossenses 2.12).

Pelo batismo, o crente sepulta simbolicamente o velho homem, considerando-se morto para o mundo e, ao levantar-se das águas batismais, o converso também se torna participante da ressurreição vindoura, onde Cristo foi o primeiro que ressuscitou num corpo glorificado para nunca mais morrer. O batismo representa a necessidade de se estar morto, isto é, guardar-se da corrupção do mundo para que, pelo mérito de Cristo sejamos participantes da sua ressurreição.

A Congregação Cristã no Brasil – em particular – concilia a expressão da autoridade do nome do Senhor Jesus (Atos 2.38) com a fórmula batismal (Mateus 28.19). Parafraseando o batismo efetuado pelo grupo de cristãos em epígrafe, tal conciliação pode ser proferida – em paráfrase - da seguinte maneira:

Irmão (a), sob a autoridade de Jesus Cristo te batizo, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.” (Atos 2.38; Mateus 28.19). 

Assim, no tocante a Atos 2.38, é assunto resolvido que o batismo deve ser feito sob a autoridade do Senhor Jesus. É o que o ministério da Congregação Cristã no Brasil faz ao batizar cada convertido (a), batizando-o (a) na autoridade do nome do Senhor Jesus. Portanto, não se trata de uma ‘quaternidade’(?) de nomes, mas uma obediência ao que está nas Escrituras, à autoridade que o nome do Senhor Jesus exerce e representa em todos os serviços espirituais. Portanto, com tal procedimento não há contradição alguma, antes todas as partes se conciliam, apenas para reforçar o entendimento e clarear as mentes, com respeito a Atos 2.38:

Obviamente, a declaração em foco: “Seja batizado em nome de Jesus Cristo”, está se referindo à ideia de “pela autoridade de Jesus”, como se lê nas passagens 3.16 e 16.18, nas quais a autoridade de Jesus é invocada. Além disso, o próprio Mestre ordenou seus discípulos: “Ide e fazei discípulos de todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28.19). Este procedimento foi ratificado pelos pais da Igreja primitiva desde os tempos cristãos mais remotos e autenticado em diversas passagens da obra Os ensinos dos doze apóstolos. O texto em estudo, portanto, revela apenas que o batismo deve ser feito sob a autoridade do nome de Jesus.” (Bíblia Apologética de Estudo – ICP – Edição Ampliada, pág. 955, 5ª Edição 2011 – ACF, São Paulo – SP).

Ora, e não é exatamente isto que é feito pela Congregação? Tal grupo só realiza seus serviços batismais invocando a autoridade do nome de Jesus Cristo, feito isto, é dita a fórmula batismal. Digo mais, com referência ao batismo Bíblico, o teólogo das Assembleias de Deus, Samuel Nyström, prefaciou um livro que se intitula “O Batismo Bíblico e a Trindade”, cuja autoria é de N. Lawrence Olson, uma publicação da CPAD. 

Vejamos o que foi escrito por Nyström, teólogo assembleiano:

Esperamos que Deus abençoe esta obra, a fim de que sirva para melhor compreensão desta verdade tão importante e para obediência mais pontual à Palavra de Deus.” (Olson, N. Lawrence. O Batismo Bíblico e a Trindade, pág. 9, Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1985, Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

Ficaria incompleta esta matéria, se não fosse apresentada ao querido leitor o que encontra-se escrito na obra supra, obra esta que o prefaciador invocou as bênçãos de Deus para “obediência mais pontual à Palavra de Deus”, vejamos:

Torna-se muito claro que não existe nenhuma discrepância entre a fórmula de Mateus 28.19 e as expressões sobre a “autoridade” ou “em o nome do Senhor Jesus” ou de “Jesus Cristo” nas quatro referências supracitadas. Muitas vezes quando efetuo um batismo emprego tanto a fórmula como a expressão da autoridade, dizendo: “Irmão (...), em nome (ou sob a autoridade) do Senhor Jesus Cristo, eu te batizo em o nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Com isso todas as partes só poderão ficar satisfeitas, pois assim estamos em plena obediência ao Mestre e seguindo o exemplo que os apóstolos nos deixaram. Tendo plena convicção de que aqueles homens de Deus usaram a fórmula determinada em Mateus 28.19.” (Olson, N. Lawrence. O Batismo Bíblico e a Trindade, págs. 62, 63. Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1985, Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

Curioso, é que alguns pastores das Assembleias de Deus além de não obedecerem a esta forma “mais pontual à Palavra de Deus”, ainda vivem a nos criticar por fazê-lo! Sobre o tópico batismo, por usarmos a expressão de Atos 2.38 junto à fórmula batismal de Mateus 28.19, vejamos um exemplo dessa crítica infundada:
 
Pôr toda a história da igreja, Deus levantou homens santos que preservaram a fidelidade dos ensinamentos de Jesus, defendendo sua Palavra contra maléficas heresias. Novamente nos deparamos com uma grave heresia da Congregação Cristã no Brasil. Não posso aceitar estes ensinamentos contrários a Palavra de Deus. Atos 2:37 a 40 é mais um texto que os caducos anciãos desta organização distorceram, e que, pela falta de um estudo verdadeiro da Palavra de Deus, ensinam erroneamente.” (Amaral, José. A Igreja do Véu – Igreja ou Heresia? – Toda a verdade sobre a Congregação Cristã no Brasil, 4ª Edição, pág. 47, Goiânia: Edição do Autor, 2000).

Com tais argumentos estereotipados, o autor do tal livro crítico acima, assim como os pastores que o ajudaram na devida publicação, todos assembleianos, dão “tiros” nos próprios pés, afinal, apresentei fontes aprovadas e publicadas pelas próprias igrejas deles, as Assembleias de Deus, argumentos que são favoráveis ao ensino da CCB. Com isso, eles não estão acusando só a Congregação por aderir ao ensino Bíblico, acabaram por atacar também a Casa Publicadora de suas próprias igrejas, a CPAD, como também a Bíblia Apologética de Estudo publicada pelo ICP (Instituto Cristão de Pesquisa). Tanto a CPAD, ICP e a CCB possuem convergência nos textos de Atos 2.38 e Mateus 28.19. Assim, por serem favoráveis, as devidas citações do ICP e da CPAD também foram atingidas, como sendo:
 
1.’Maléfica heresia’(?);
2. ’Grave heresia’(?);
3. Ensinamentos ‘contrários’(?) a Palavra de Deus;
4. Texto formulado por ‘caducos’(?);
5. Texto ‘distorcido’(?);
6. ’Falta’(?) de um estudo verdadeiro da Palavra;
7. Ensinar ‘erroneamente’(?).

Graças a Deus, todos estes insultos não nos atingem, afinal, aceitamos o que está escrito na Palavra de Deus:

Portanto, não há, realmente, contradição alguma. Simplesmente aceitamos o que está escrito, i. é, sob a autoridade de Jesus recebemos batismo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” (Olson, N. Lawrence. O Batismo Bíblico e a Trindade, págs. 28, 29. Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1985, Rio de Janeiro, RJ, Brasil).

Pergunto: - E agora, José?

Categoricamente, temos plena convicção de que os apóstolos não batizavam em nome de Jesus somente, mas também utilizavam da fórmula batismal:

Em resumo, podemos afirmar categoricamente que as passagens mencionadas, de Atos, provam que os apóstolos não batizavam “em nome de Jesus” somente, mas sim obedeciam ao Mestre usando fórmula de Mateus 28.19.” (Olson, N. Lawrence. O Batismo Bíblico e a Trindade, pág. 64. Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1985, Rio de Janeiro, RJ, Brasil). - O negrito é meu.

Quanto à polêmica que alguns fazem sobre o “EU” ou “TE” batizo, tenho a declarar que nem o “eu” ou o “te” aparecem na expressão da autoridade (Atos 2.38), como também não aparecem na fórmula batismal (Mateus 28.19). Digo mais, quando o ancião suprime o “eu” do “te batizo”, apenas está enfraquecendo o sujeito (eu) que está oculto, mas isto não significa ausência do sujeito, o mesmo está presente na palavra “batizo” que está na primeira pessoa do singular, tal palavra aponta para quem está realizando o devido serviço batismal, o “eu” (1ª pessoa).

Espero que este estudo sirva de auxílio aos irmãos, notifico também que o itálico foi usado para destacar as devidas citações, dos meus respectivos comentários.

Deus vos abençoe.
Daniel Kauphan

Fontes:
. Pontos de Doutrina e da Fé que uma vez foi dada aos Santos;
. Bíblia Apologética de Estudo – ICP – Edição Ampliada, 5ª Edição 2011 – ACF, São Paulo – SP;
. Olson, N. Lawrence. O Batismo Bíblico e a Trindade, Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 1985, Rio de Janeiro, RJ, Brasil;
. Amaral, José. A Igreja do Véu – Igreja ou Heresia? – Toda a verdade sobre a Congregação Cristã no Brasil, 4ª Edição, Goiânia: Edição do Autor, 2000.



12 comentários:

  1. Engraçado.

    Para fazer explicação dos pontos de doutrina dessa graça (CCB) valem-se da Bíblia, a mesma Escritura que o seu estudo é condenado por essa graça (CCB).

    São boas suas afirmações, todavia ao que nos parece e nos lembra muito dos Judeus e suas práticas, fiéis e radicais quanto à forma desprezando por completo o conteúdo.

    Pessoas já batizadas em outras denominações não são aceitas dentro dessa graça (CCB) tem que se batizar novamente, mesmo as Escrituras dizendo que é "...um só batismo.."

    Tem que orar de joelhos, a igreja tem que ser pintada dessa cor, as mulheres têm que se sentarem aqui os homens ali, não chame de dízimo chame de coleta, não chame de pastor chame de ancião ou cooperador, parece uma franquia, e o DAI DE GRAÇA hein? Lembra-se em que ocasião Jesus disse isso? Pois é, não é pra ficar construindo templo se utilizando de mão-de-obra gratuita viu? Tem que pagar além do salário, os tributos, ou faça como as igrejas que atacam, pois elas contratam Construtoras.

    A palavra não mata mesmo ? Como é dito esse texto Bíblico pra condenar curiosamente a leitura da Palavra?

    Estou dizendo é claro do ministério Brás, já que existem outros ministérios da CCB né? Tanto que atacaram a Assembléia, rs.

    Vai nessa força irmão, certamente procure assim mesmo se apresentar a Deus manuseando bem a palavra da verdade...

    A Paz do Senhor (lembre-se que deus tb tem vários hein, não vá atacar essa expressão), aliás, qdo se diz A Paz do Senhor um irmão para outro de que Senhor mesmo estão falando hein? E no batismo qdo um irmão batiza o outro está sob autoridade de quem mesmo?

    Ah! Só um detalhe, frequento a CCB sim, ministério Brás por enquanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ESSE NÃO TEM CONHECIMENTO DO QUE ESTA FALANDO

      Excluir
    2. O estudo da biblia não é condenado na CCB, o que a CCB não concorda é uma escola biblica dirigida por homens sem guia do Espirito Santo que ensinam vãs filosofias e distorecem tudo a biblia,,, é assim posso dizer em 99% por centos das escolas biblicas pois todas essas escolas tem um homem no poder porisso uma escola diverge da outra, por exemplo a escola biblica da AD ensina totolamente diferente da Batista, que nem passa perto da Adventista e nem se parece com a Metodista. A CCB ensina que seus membros devem ler, estudar e examinar as escrituras em casa com a familia ou pequenos grupos e sempre orar antes e pedir a guia do espirito santo, Meu avô é da CCB e já leu a biblia inteira mais de 10 vezes e todo dia ele lê, e tem mais conhecimento do que a maioria dos pastores do Brasil que só estuda o que lhes ensinam e só sabem o que os homens falam,,,, eu sou da ccb eu estudo a biblia, eu sempre peço a Deus que me ajude, e se Deus me ajuda porque preciso de ajuda de escola de homens?... fiquem na Paz de nosso Deus nosso PAi...

      Excluir
  2. Prezado "anônimo", seus argumentos me impuslsionam a escrever uma matéria sobre seus apontamentos. Deus o abençoe pelas dicas.

    Não obstante, seria bom que o nobre e ilustre interlocutor saia do "anonimato", afinal, não somos como Tamar que punha um véu sobre a face para ocultar, esconder a identida. Venha à luz, afinal, todos nós com o rosto descoberto refletimos a glória do Senhor (2 Coríntios 3.18).

    Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  3. O termo “anônimo, além de significar “desconhecido”, diz o dicionário que também significa “obscuro, ignorado, ignoto, incógnito”.

    Qualquer anônimo pode afirmar o que quiser, sem contar que suas afirmações também podem ser tal qual o sinônimo do próprio nome: “obscuro ou desconhecido.”

    1 – Não creio que meu estudo seja condenado pela igreja, pois está alinhada com o que professamos, a Bíblia Sagrada.

    2 – O conteúdo das Escrituras nos é Sagrado; cristianismo não é teoria, é prática.

    3 – Ninguém é obrigado a orar de joelhos na igreja, há enfermos e idosos que não tem condição de se ajoelhar, estes oram sentados e mesmo assim o Senhor ouve suas orações. Das águas batismais o ancião profere a oração de pé, e, mesmo assim, o Senhor ouve sua oração e a igreja legitima dizendo “amém”. Tudo depende da condição em que a pessoa se encontrar. Qualquer um que nos visitar pode comprovar o que digo. Eu já atendi a vários cultos familiares, em todos eles - pela dificuldade observada - peço ao enfermo ou já avançado na idade que permaneça sentado no momento de oração. Alguns dos itens levantados já possuem comentários no tópico onde refuto determinada revista. Membros incautos há em todo lugar e dizem o que vem à mente sem examinar a Escritura e a devida prática comportamental na igreja, é o caso do caro anônimo, argumenta sem conhecimento de causa.

    4 – A Congregação Cristã no Brasil não mantém nenhuma comunhão com outro ministério. Quando alguns membros discordantes do presbitério formam uma dissidência criando outra igreja, não é verdade que tal ministério seja da Congregação Cristã no Brasil ou que esta mantenha comunhão com aquela... O anônimo que formulou o comentário sabe disto, contra fato, não há argumentos.

    5 – Onde há o trigo, também o joio se faz presente. O broto ou rebento precisa da luz do sol para crescer, e para esse crescimento quem olha em direção da luz – diz um sábio ditado – “não tem tempo para observar o que se passa nas trevas”. Quanto para a “Paz do Senhor” é o mesmo que estar dizendo a “Paz de Deus”. Afinal, a Paz de Deus é nosso “Senhor e Salvador Jesus Cristo”; sem Ele, o Senhor, não há paz entre Deus e os homens por Ele chamados. Se correspondemos a um “bom dia, boa tarde, boa noite”, porque não à uma “paz do Senhor”? Tanto os saúdo com a Paz do Senhor como recebo saudação deles com a Paz de Deus.

    Também, o nobre anônimo deveria observar o assunto do tópico, se no presente não possui argumentação dentro do tema proposto, estude o assunto primeiro e só então venha opinar.

    Conto com sua colaboração.
    Deus o abençoe.

    ResponderExcluir
  4. Tito 3:10 e amem.

    Claudio (não tenho conta, por isso postei como anônimo, poderia ter excluído o meu comentário acima)

    ResponderExcluir
  5. Querido irmão Cláudio,

    Nesse caso, fica então explicado. Eu poderia, sim, ter excluído seu comentário, mas não o fiz para evitar de o nobre irmão ficar se perguntando sobre o motivo de eu não ter postado seu comentário.

    Cada um é livre para se expressar, desde que dentro dos parâmetros genuinamente cristãos.

    Deus o abençoe, amado.

    ResponderExcluir
  6. A Paz de Deus; como diz nosso Senhor Jesus Cristo, importa porém que seja batizado com um certo batismo...(LC 12:50); e esse CERTO batismo, seja conforme está mencionado nessa matéria...

    .“6 – Nós cremos no batismo na água, com uma só imersão em nome de Jesus Cristo (Atos 2:38) e em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. (Mat., 28:18, 19).”

    Deus Abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão Welbe, creio que o "batismo" referido em LC 12.50, não é o batismo nas águas; o contexto parece indicar outro significado, pois, quem disse isso já havia sido batizado para cumprimento de justiça.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  7. A PAZ DE DEUS;

    No histórico da Obra de Deus revelada no século passado(CCB); Deus revela ou repreendia o irmão Louis Francescon em 1894, quando mesmo em uma noite se encontrava de joelhos em seu quarto lendo o cap. 2 da carta aos colossenses verso 12,"Tu não obedeceste a este meu mandamento ". Então respondeu: "Senhor jamais alguém me falou neste assunto".

    Minhas duvidas caro irmão Romário; será que no BRASIL E NO MUNDO APARTI DAQUELA DATA (1894), EXISTIA IGREJAS QUE JÁ OBEDECIA ESTE MANDAMENTO "BATISMO POR IMERSÃO"?


    Imersão:-Teólogos cristãos, como John Piper usam várias partes do Novo
    Testamento para apoiar a imersão total (submersão) como o símbolo pretendido:

    “ 1) O significado da palavra baptizo no grego é, essencialmente, "mergulhar" ou "imergir", não aspergir, 2) As descrições de batismos no Novo Testamento sugerem que as pessoas desceram às água para serem imersos, sendo que a água poderia ser trazida a eles em um recipiente para ser aspergida ou derramada (Mateus 3:6), na Jordânia;" 3:16 ", ele subiu para fora da água; "(João 3:23),"muita água hávia; "(Atos 8:38),"caiu na água "). 3) A imersão se encaixa no simbolismo de ser enterrado com Cristo (Romanos 6:1-4), (Cl 2:12).4 ”


    O batismo por submersão em uma igreja na América do Norte
    Piper afirma que o batismo se refere à redução física dentro da água e aumento na fé em parte por causa da reflexão deste símbolo em (Cl 2:12), que diz que "tendo sido sepultados com ele no batismo, e levantou com ele através de sua fé no poder de Deus, que ressuscitou dentre os mortos pela glória do Pai, assim também nós possamos caminhar em novidade de vida ".

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.




    Deus Abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém.

      Irmão Welbe, sim, no Brasil já ocorria o batismo por imersão conforme registros históricos anteriores a 1894 e, consequentemente, posterior a devida data; para fundamentar o que digo, cito a Igreja Batista. Digo mais, segundo a historiadora batista, Betty Antunes de Oliveira, o primeiro pastor batista de nacionalidade “brasileira” foi Antônio Teixeira de Albuquerque (ex-padre). Conta-nos a historiadora que logo após ele ter sido batizado num córrego em 20 de junho de 1880, o mesmo foi consagrado ao Ministério da Palavra numa Loja Maçônica. O batismo do primeiro pastor batista brasileiro foi realizado – segundo ela – pelo pastor e maçom R. P. Thomas, confira:

      “Ele foi aceito na igreja e, a pedido do pastor, foi batizado pelo pastor R. P. Thomas, na presença de uma grande congregação de americanos e brasileiros. (...) O Rev. R. P. Thomas e o diácono M. P. Fenley eram maçons e eram membros das igrejas, primeira e segunda, respectivamente. (...) Os atos a realizarem-se o seriam em dois lugares diferentes: na Loja Maçônica e ao ar livre, no “batistério”. Portanto, a questão do tempo usado para esses atos e a conseqüente suspensão da sessão foi considerada, para que a consagração se desse logo após o batismo, no mesmo dia.“ (Antunes de Oliveira, Betty. Centelha em Restolho Seco – Uma Contribuição para a História dos Primórdios do Trabalho Batista no Brasil, págs 278 e 279. Edições Vida Nova, 2ª Edição: 2005, São Paulo – SP, Brasil).

      Ao dizer “batistério”, a historiadora Betty se referia a um córrego existente próximo ao chamado “Cemitério dos Americanos”, onde, segundo ela, a água represada formava o “baptizing-pool”.

      O batismo por imersão do primeiro pastor batista brasileiro se deu, portanto, em 20 de junho de 1880, anterior a 1894.

      Creio que isto satisfaz as dúvidas que tinha.

      Deus o abençoe.

      Excluir
  8. Amém. Deus que te abençoe; então tudo indica que Deus, pela sua infinita bondade; repreendeu nosso irmão naquela noite, com esses dizeres:,"Tu não obedeceste a este meu mandamento ". Para que no dia de hoje: sua obra pelo batismo da água , segundo o mandamento do Senhor Jesus,...pelo Espírito Santo Ela foi animada e engrandecida...(histórico da Obra de Deus revelada pelo seu Espírito Santo no século passado pagina 47).

    Deus Abençoe.

    ResponderExcluir